domingo, 26 de janeiro de 2014

GOTINHA DE CHUVA


GOTINHA DE CHUVA 
de
Maria Zélia Gomes

Da chuva tu 
És gotinha
Translúcida 
E tão sozinha
No vão da
Minha janela …
Lá fora …
A tempestade …
Traz a marca
Da saudade …
Da minha 
Dourada 
Estrela!
         

O FADO É CANÇÃO DOLENTE


O FADO É CANÇÃO DOLENTE
de
Maria Zélia Gomes

O fado é canção dolente
É canção viva dum povo
É canção bem diferente
Seja o fado, velho ou novo

Geme a guitarra tão triste
Na voz quente do fadista
E nesse cantar existe
Um coração bem bairrista

O fado canta o amor
Canta traições e ciúme
Chora lágrimas de dor
Há nesse canto, queixume

Canta-se a triste saudade
Solidão e desamor
E com sensibilidade
No fado canta-se … a dor!
  21.11.2006



segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

TEUS OLHOS SÃO DOIS CRISTAIS


TEUS OLHOS SÃO DOIS CRISTAIS
de
Maria Zélia Gomes

Teus olhos são dois cristais
Pedacinhos de corais
Que o mar te deu de presente
São belos … doces … gostosos …
E os meus olhos … gulosos
Beijam os teus … ternamente!
09.maio.1990

sábado, 18 de janeiro de 2014

QUERO-TE... PORQUE TE QUERO!


QUERO-TE … PORQUE TE QUERO!
de
Maria Zélia Gomes

Quero-te … porque te quero
Quero-te … nem sei porquê 
Enquanto não tenho … espero
Não entro em desespero
Se não vens … logo se vê! 

Quero-te … é bom querer
Desejo-te … eu sou mulher
É sonho … é fantasia 
Quero-te … porque te quero
Enquanto não vens … espero 
Junto da minha … Poesia!
 03.03.2007

QUERO FALAR-TE DO AMOR


QUERO FALAR-TE DO AMOR
de
Maria Zélia Gomes

Quero falar-te do amor
Do amor não interesseiro
Dum belo amor verdadeiro
Que nos prende por inteiro
Que não tem forma nem cor

Quero falar-te do amor
Do sentimento profundo
Que une os seres neste mundo
Surge às vezes … “vagabundo” 
É sempre arrebatador!

Quero falar-te do amor
E … seja lá pelo que for
É cantado … em poesia …
Quero falar-te do amor
Desde o nascer … ao sol-pôr
Mas falar-te … em cada dia!

QUERO QUE SAIBAS POESIA


QUERO QUE SAIBAS POESIA …
 de
Maria Zélia Gomes

Quero que saibas poesia
Que sem ti não viveria
Que em solidão ficaria
Se me faltasses de vez

Nem o sonho me alegrava
Nem o amor me olhava 
A vida por mim passava
E a saudade era um revés 

Quero que saibas poesia 
Quero a tua companhia
Sou contigo outra mulher 
Não me abandones amiga 
Para que a vida prossiga 
Até quando Deus quiser! 
         11.11.2006