sábado, 27 de novembro de 2010

RAPSÓDIA DE HORIZONTES

ASI NACEMOS - JULIO IGLESIAS



http://images.paraorkut.com/img/recados/bemvindos_580762340_Bem_Vindos_457388273_4.gif

Somos



http://images.paraorkut.com/img/recados/bemvindos_580762340_Bem_Vindos_457388273_4.gif

Lágrima de preta (Duarte Mendes)



http://images.paraorkut.com/img/recados/bemvindos_580762340_Bem_Vindos_457388273_4.gif

1975 - Duarte Mendes - Madrugada.mp4



http://images.paraorkut.com/img/recados/bemvindos_580762340_Bem_Vindos_457388273_4.gif

1984 - Maria Guinot - Silêncio E Tanta Gente



http://images.paraorkut.com/img/recados/bemvindos_580762340_Bem_Vindos_457388273_4.gif

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

PALAVRAS AO VENTO






















PALAVRAS AO VENTO
de
Maria Zélia Gomes



Lanço palavras ao vento
Numa raiva desmedida
Cansada de sofrimento
Tenho a dor e o lamento
A queimar meu pensamento
Com raiva da própria vida …


Sílabas se atropelando
Nas frases que vou falando
Pra desfazer meu tormento
Por tanto já ter sofrido
Num passado mal vivido
Lanço palavras ao vento!


06.01.2007

TEU NOME ESCREVI




















TEU NOME ESCREVI
de
Maria Zélia Gomes

Teu nome escrevi no chão
Nesse chão tão poeirento
Entre as pedras da calçada
Tatuei … no coração
Teu nome sem um lamento
E fui por ti … abraçada

Teu nome escrevi na água
Com letras de nostalgia
Em poemas de … amor
E afoguei minha mágoa
Em rios de … água fria
Com reflexos do sol-pôr!

25.07.2005

SENTE-SE NO CORAÇÃO






















SENTE-SE NO CORAÇÃO

de
Maria Zélia Gomes


Sente-se no coração
Como punhal, a traição
Vinda de alguém que amamos
Mas a alma sofredora
Diz ao coração que chora
Palavras que não pensamos

E o coração a sangrar
Vibra no peito a pulsar
Com raiva, tamanha dor …
No silêncio de um lamento
Vai com o vento o pensamento
E com ele … um falso amor!
21.08.2010

O MELHOR DO MEU SENTIR



















O MELHOR DO MEU SENTIR

de
Maria Zélia Gomes


O melhor de meu sentir
É viver sempre a sorrir
Feliz da vida … contente
Quem dera que a idade
Só trouxesse felicidade
Ao mundo … a toda a gente

Mas meu sentir tem revezes
E por isso, quantas vezes
Me sinto só e tão triste
Mas logo mudo o semblante
Dou amor ao “semelhante”
Já que em mim … amor existe!
06.08.2010

domingo, 21 de novembro de 2010

VOU ESPERAR O VENTO




















VOU ESPERAR O VENTO


de
Maria Zélia Gomes

Quero soltar o cabelo
Para que o vento ao vê-lo
Vá morrer em suas ondas
Quero que a sombra da lua
Venha com a noite nua
E o sol, com pudor, se esconda


Quero voltar a cantar
Para de novo escutar
O eco do vento norte
Vou chegar à beira-mar
Irei deitar-me ao luar
Esperando o vento forte!
08.05.2006

CAMINHO SEM RUMO CERTO























CAMINHO SEM RUMO CERTO

de
Maria Zélia Gomes


Por este chão poeirento
Onde dança o fero vento
Caminho sem rumo certo
Oiço ao longe o mar rugir
E o chão faz-me sentir
As pedras do piso incerto

Vagueio em desvario
E o vento forte e frio
Quase me arrasta no chão
A tempestade a chegar
Já não me faz despertar
Desta imensa solidão!
08.08.2010

TEU AMOR AUSENTE




















TEU AMOR AUSENTE
de
Maria Zélia Gomes

Vou cantando
Entoando
Hinos de amor
Sedução
Vou vivendo
Vou tentando
Que este
Meu canto
Brando
Não seja
Divagação
Vou amando
Vou querendo
E na vida vou
Sentindo
Desejos de
Amor ardente
Vou sonhando
Delirando
Vivendo sempre
Carpindo
O teu amor
Tão ausente!
07.07.2006

CHRISTOPHER CROSS - SAILING



http://images.paraorkut.com/img/recados/bemvindos_580762340_Bem_Vindos_457388273_4.gif

sábado, 20 de novembro de 2010

SOMBRAS NA NOITE




















SOMBRAS NA NOITE
de
Maria Zélia Gomes

As sombras que a noite apaga
Dão lugar à luz do dia
E o calor que me afaga
Todo o dia me não larga
16.11.2010

ESTA VIDA




















ESTA VIDA
de
Maria Zélia Gomes

Oh meu Deus! que vida esta
Sem PC pra consultar
Sem meus Grupos visitar
Pra meus poemas deixar
Nesta vida, nada presta

Que hei-de fazer agora?
De ler já estou cansada!
Ver TV a toda a hora
Apago-a sem demora
Mas ... que vida tão tramada!
18.11.2010

POESIA DE AMIZADE



















POESIA DE AMIZADE
de
Maria Zélia Gomes

Vou evitar que descubram
Os meus ais e meus anseios
Talvez meus sonhos os "cubram"
E passem a devaneios

Fiz do meu peito sacrário
Dos meus sonhos de ilusão
No adro do santuário
Guardei versos d emoção

No altar da poesia
Onde reina a nostalgia
Desses versos de saudade

Vou pedir a Deus Senhor
Orando com todo o ardor
Poesia de Amizade!
18.11.2010

domingo, 14 de novembro de 2010

DIAS FRIOS DE INVERNO




















DIAS FRIOS DE INVERNO
de
Maria Zélia Gomes

Cai a tarde
Morrinhenta
Traz chuva fria
E langor …
E na tarde
Pardacenta
Na noite que
Vem cinzenta
Troa o trovão
Com fragor …
É Inverno
Tão sombrio
E nestes dias
De frio …
A alma chora
Tristezas …
Cai neve
Na noite fria
E nesta
Cama vazia …
Moram dor e …
Incertezas!
03.03.2007

DIA DE INVERNO




















DIA DE INVERNO
de
Maria Zélia Gomes

Cai a tarde lenta e fria
No dia que vai morrendo
E pra sua companhia
Cai chuva grossa, sombria …
Na tarde triste … vazia
Deste dia … sem ter dia …

E a terra fenecendo
Numa tristeza profunda …
Chora triste … moribunda!
25.07.2006

sábado, 13 de novembro de 2010

AO NASCER DA ALVORADA






















AO NASCER DA ALVORADA

de
Maria Zélia Gomes


Ao nascer da alvorada
Eu oiço a passarada
Soltando belos gorjeios
Atrevido um raio de sol
Veio poisar no meu lençol
Só pra me beijar os seios

O raio de sol brincalhão
Aqueceu meu coração
Deixando-me já manhã alta
Eu permaneci deitada
Não pensando em mais nada
A não ser … na tua falta!
26.08.2009

ÂNSIA DO BEIJO













ÂNSIA DO BEIJO
de
Maria Zélia Gomes

Sabe-me o beijo a romã
Trazendo raios da manhã
No calor de um abraço
E na ânsia desse beijo
Nasce … um forte desejo
Causando algum embaraço …

Sabe-me o beijo a alegria
Que se solta da magia
Desse acto de beijar
E encaminho meus passos
Procurando os espaços
Que existem só para amar!
12.03.2007

ANJINHO DA GUARDA






















ANJINHO DA GUARDA
de
Maria Zélia Gomes

Pra iluminar meu caminho
Tenho um Anjinho da Guarda
Para me dar seu carinho
Vou tocando pelo caminho
Mas se demora … não tarda …

Na cabecita tão linda
Tem uma auréola de luz
Anjinho de graça infinda
Com Ele eu sonho ainda
Pois Seu encanto … seduz …

Traz com Ele a alegria
No Seu clarim … melodia
Quando me vem visitar
No Seu olhar … com magia
Brota fluida a Poesia
Que declama … pra encantar!
07.01.2007

ANDORINHA


















ANDORINHA

de
Maria Zélia Gomes

Preto no dorso
Branco no peito …
Assim é ela
A andorinha …
Essa tão bela
E doce avezinha
Que nos visita
Na Primavera!
Faz o seu ninho
Ali no beiral …
Mas hoje vi …
À minha porta
Na minha rua
Movimentada …
Numa caixinha
Uma avezinha …
De dorso preto …
De branco peito …
Voando lesta
Para o seu ninho!
E ali fiquei
Admirando …
O ninho tosco …
Da avezinha …
De peito branco …
De negro dorso …
Essa tão bela
E doce andorinha!


11.04.2006

AMORDAÇO A MINHA VOZ




















AMORDAÇO A MINHA VOZ
de
Maria Zélia Gomes

Há barreiras entre nós
E o silêncio cala a voz
Para abafar a paixão
No calor adormecido
O amor foi esquecido
Na mais triste solidão

E na solidão tristonha
A saudade ainda sonha
Com a paixão entre nós
Olho atrás pró passado
“Ausente” bem a meu lado
E … amordaço a minha voz!
13.07.2007

ANDA À SOLTA O AMOR



















ANDA À SOLTA O AMOR
de
Maria Zélia Gomes

Quero olhar o sol-pôr
Quando chegar o amor
E a lua cheia espreitar
Quero estar no areal
A brincar com o coral
Que veio pra encantar
Quero dar um beijo à lua
Quando ela se deita nua
Nas águas do mar revolto
Gaivotas esvoaçando
A brisa no ar pairando
Beijam o mar que está solto!

13.11.2006

AMOR INTEMPORAL




















AMOR INTEMPORAL
de
Maria Zélia Gomes


O odor a maresia
Vem trazer, no dia a dia
Pedaços de sol ardente …
E no mar do meu encanto …
Nas águas que amo tanto …
Me deito tão docemente …


Tenho saudades do mar …
Das noites de belo luar …
Da espuma no areal …
Tenho saudades do verão …
São saudades da paixão …
Do amor intemporal!
09.05.2006

AMOR E VIDA



















AMOR E VIDA

de
Maria Zélia Gomes


Trago na alma odor de maresia
No coração a minha poesia
E no olhar um sorriso velado
Sob a luz das estrelas nasce sonhos
Que tornam rostos inda mais risonhos …
Amor e vida passeiam .,. lado a lado!
17.01.2010

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

PRISIONEIRA





















PRISIONEIRA
de
Maria Zélia Gomes

Prisioneira da ilusão
Que sofre o coração
Vivendo um passado
Ausente …
No dealbar da alvorada
Escuto a madrugada
Que vive no meu
Presente …

Olho o céu já clareando
Meus passos me vão
Levando
Até à beira do mar …
Prisioneira que ainda sou
Meu pensamento
Arrastou …
Desejos de soluçar …

E no meu presente arguto
O silêncio ainda escuto
Preso nas malhas da dor …
Prisioneira da saudade
Na solidão que me invade
Sou presa do desamor!
24.08.2006

PRECISO DE TE DIZER




















PRECISO DE TE DIZER
de
Maria Zélia Gomes

Preciso de te dizer
Que a vida passa a correr
E que já não volta atrás
Vive o melhor que puderes
A vida, como quiseres
Porque a idade … tudo traz
Tudo traz e tudo leva
A vida passa e carrega
Muita e muita solidão
Devia assim ter pensado
A vida passou-me ao lado
Dei-lhe tão pouca atenção
Passou a vida a correr
Custa-me agora dizer
Fiz muito … e não fiz nada
Passa a vida … chega a idade
Trouxe com ela a saudade
Do tempo da mocidade …
Fiquei pela vida … marcada!
29.09.2006

POSSO NÃO TER ALEGRIA

















POSSO NÃO TER ALEGRIA
de
Maria Zélia Gomes

Posso não ter alegria
Posso até não ter amor
Mas não me falta magia
Para compor poesia
Apesar do desamor

Até posso não sonhar
Já nem sequer desejar
Sentir carinho na vida
Mas tenho a minha poesia
Que me transmite acalmia
Vivo com a fantasia
De … pelo amor …
Me sentir … querida!
27.09.2006

POVO QUE LAVAS NO RIO












POVO QUE LAVAS NO RIO
de
Maria Zélia Gomes

“Povo que lavas no rio
Que talhas com teu machado
As tábuas do teu caixão” …
Era um fado que eu ouvia
E ao ouvi-lo sentia
A dor em meu coração

Nunca pude entender
O porquê do meu sofrer
Quando esse fado eu ouvia
Hoje que o tempo passou
Que a vida … me marcou …
“Vejo” triste nostalgia
Nos versos desta Poesia!
14.03.2008

PORTA ABERTA




















PORTA ABERTA

de
Maria Zélia Gomes


Vou deixar
A porta
Aberta
Para
A alegria
Entrar …
Mas se
A saudade
Aperta
Fica a
Alma tão
Incerta
Que
Apetece …
Chorar!

02.08.2007

PORQUE TE QUERO




















PORQUE TE QUERO
de
Maria Zélia Gomes

Quero-te porque te quero
Mas porquê este meu querer?
Meu querer é tão sincero
Que atinge o desespero
No medo de te perder …
Porque te quero, vou querer
Na vida … o teu viver
Pra aquecer o coração
E hoje … porque te quero
No amor de amor tão fero …
Vou morrendo de paixão!


18.04.2007

PRA QUE FIQUES ENCANTADO




















PRA QUE FIQUES ENCANTADO

de
Maria Zélia Gomes


Pra que fiques encantado
E pra viver sem cuidado
Coração não vás sofrer
Não procures o amor
Ele só traz desamor
Faz a alma … envelhecer

Vive a vida alegremente
Que ela passa de repente
E atrás não vai voltar
Vê a idade com magia
Vive a vida … dia a dia
E ... não pares de sonhar!

05.07.2009

PORTAS DA MEMÓRIA




















PORTAS DA MEMÓRIA
de
Maria Zélia Gomes

Abri portas à memória
E recordei a história
Dum certo segredo antigo
Veio depois à lembrança
Pedaços de velha esperança
Do segredo que não digo
E a história tão bem guardada
Nas minhas recordações
Nesse baú de quimera
Lembra à alma enamorada
Segredos … de corações
Nascidos na “Primavera”
10.06.2007

PORQUE TE ENSINEI

















PORQUE TE ENSINEI
de
Maria Zélia Gomes

Porque te ensinei a sorrir
Não quero ver-te chorar
Porque te ensinei a viver
Quero ver-te gargalhar
Porque te dei felicidade
Não quero ver no teu rosto
Sombras de alguma saudade!
30.07.2006

POUCO TE PEÇO




















POUCO TE PEÇO
de
Maria Zélia Gomes

Pouco eu peço de ti
Só um pouco que vivi
Quando estavas a meu lado
Desse tempo, já não sei
Se o vivi ou sonhei
Ou é somente … passado

Pouco te peço … ou pedia
(Para compor Poesia)
Desse passado distante
Agora … nada mais peço
Quero sentir porque esqueço
O teu amor … inconstante!
03.05.2007

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

TRINA A GUITARRA




















TRINA A GUITARRA
de
Maria Zélia Gomes

Tal como árvore na rua
Assim se assemelha a lua
Lá no alto céu brilhando
Ao romper da alvorada
Oiço triste guitarrada
Que o meu fado vai trinando

Trina a guitarra gemendo
No coração vai doendo
O meu fado … minha sina …
Lá no céu a luz da lua
No coração perpetua
Os meus sonhos de menina!

16.10.2006

TRAGO COMIGO




















TRAGO COMIGO

de
Maria Zélia Gomes


Trago comigo a alegria
Sempre que meu dia a dia
Vem trazendo o azul do mar
Fica meu dia embalado
Com calor de sol doirado
E à noite com o luar

Trago comigo emoções
Com velhas recordações
Que me ajudam a viver
Trago na alma a visão
Do pulsar do coração
No meu corpo de mulher!

06.08.2009

TU FOSTE O MEU PASSADO




















TU FOSTE O MEU PASSADO
de
Maria Zélia Gomes

Tu foste o meu passado
Foste um ser idolatrado
Que já perdeu seu presente
Foste o meu sonho querido
Que por mim foi “resolvido”
Por o amor estar ausente

Foste um “poema” para mim
E a conclusão chega enfim
Pois minha alma está “sarada”
Dos poemas que escrevi
Se muitos … foram por ti
Para mim … já não és nada!
01.02.2007