terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

MULHER DE RUA





















MULHER DE RUA
de
Maria Zélia Gomes

Tu mulher …
Que na rua estás à “venda” …
Cuja vida é uma lenda …
Todos te apontam o dedo …
Quem te olha mal te vê …
Vergonha?…Será?... De quê?
Se todos temos a culpa …!?
Da vida que vais levando…
Os que te estão usando …
Também não têm desculpa …
Foste mulher desprezada …
Na valeta estás “deitada” …
Como ser imprestável …
Eu, por mim, peço perdão …
Se te neguei minha mão,
Quando estavas precisada …
Mulher da vida … da rua …
Pões a tua alma nua
A troco do vil metal …
Quem te paga, não quer saber
Se o que vais receber
Tem “bom” destino … afinal!
É para pão p’ra comer?
P’ra filhos alimentar?
Ou será porque na vida
Erraste por tanto amar?
Se és da rua …
Do bordel …
Da beirinha da estrada …
Ou de outro sítio qualquer …
Não te vou recriminar …
Tu não és um ser qualquer …
Tu tens direito a viver …
Porque também és … MULHER!


08.03.2006

2 comentários:

  1. Obrigada amiguinha!
    Bem hajas pela visitinha que me fizeste
    Este é um cantinho onde deixo, através dos poeminhas que aqui coloco, pedacinhos da minha alma que o coração ditou!
    Beijinhos pelo carinho e ... volta sempre
    Maria Zélia

    ResponderEliminar